Nós,  promotoras  legais populares, mobilizadas em mais de vinte cidades do estado de São Paulo e também em outras capitais do país, somos  engajadas na defesa dos direitos das mulheres e na luta contra todas as formas de violência. Há mais de duas  décadas atuamos cotidianamente para construir uma sociedade democrática e igualitária. A realização desse projeto tem  enfrentado dificuldades cada vez maiores.

O  governo  golpista tem  adotado medidas  que atingem em cheio  os direitos sociais constitucionalmente  garantidos, prejudicando de modo contundente  as mulheres. Esses retrocessos intensificam a  enorme desigualdade social e criam um ambiente  violento e propício às violações de direitos. Coerentes  com nossa história e nossos ideais, não podemos nos calar  diante de mais uma grave violação de direitos.

No  dia 24  de maio,  a promotora  legal popular  Rosana Meneses foi  abordada na rua por  um segurança da rede de  supermercados DIA%, que a acusou  de roubo de uma embalagem de peixe.  Rosana, mulher negra, foi constrangida  publicamente, submetida a revista ilegal  e coagida a retornar à loja. De volta ao supermercado, Rosana pôde contar com o apoio de companheiras advogadas que foram até ela. A partir desse momento, os representantes do supermercado DIA% não  colaboraram para que o caso fosse esclarecido, recusando-se a apresentar a filmagem do suposto roubo do qual Rosana estava sendo acusada. Recusaram-se também, inclusive, a fornecer o  nome do segurança, que teria se apresentado como policial militar no momento da abordagem à nossa companheira PLP de Campinas.

Esse  episódio  abominável  é mais uma  amostra da violência  que é sistematicamente  praticada contra mulheres  negras. A atitude do segurança  do supermercado DIA% e dos funcionários que o acobertaram em suas práticas de constrangimento ilegal, seqüestro e cárcere privado demonstra  de maneira cabal o RACISMO presente na nossa sociedade. É a lógica racista que causa a discriminação, a prisão e a morte  dos jovens da periferia das grandes cidades brasileiras. É a lógica racista que orienta o ataque ao corpo e à alma da mulher  negra, mais fragilmente amparada nesse país desigual e injusto. Manifestamos nosso veemente repúdio ao racismo e a todas as formas de  discriminação! Todo o nosso apoio e solidariedade a Rosana Meneses!

Assinam esta nota de apoio

União de Mulheres do Município de São Paulo
Promotoras Legais Populares de São Paulo
Promotoras Legais Populares de Águas de São Pedro
Promotoras Legais Populares de Suzano
Promotoras Legais Populares de Jundiaí e Região
Promotoras Legais Populares de Curitiba e Região
Coletivo Alumiá: Gênero e Cidadania
Promotoras Legais Populares de Mauá
Fórum de Promotoras Legais Populares do Distrito Federal
PROLEG – Promotoras Legais Populares de Santo André
Promotoras Legais Populares de Jaú
Promotoras Legais Populares dos Pimentas
Promotoras Legais Populares de São Bernardo do Campo
Plenu – Instituto Plena Cidadania
Promotoras Legais Populares de Sorocaba
Promotoras Legais Populares do Rio de Janeiro
Promotoras Legais Populares Cida da Terra de Campinas e Região
Centro Dandara de Promotoras Legais Populares de São José dos Campos
Promotoras Legais Populares de Bertioga
Promotoras Legais Populares de Cubatão
Promotoras Legais Populares do Guarujá
Promotoras Legais Populares da Praia Grande
Promotoras Legais Populares de Santos
Promotoras Legais Populares de São Vicente
Centro Tereza de Benguela de Promotoras Legais Populares de Itaquaquecetuba
Promotoras Legais Populares de São Caetano do Sul
Promotoras Legais Populares de Diadema
Rede Feminista de Juristas
Coletivo Parajás
Sub Sede da CUT de Campinas
Coletivo de Mulheres da Sub Sede da CUT de Campinas
Coletivo de Combate ao Racismo da Sub Sede da CUT de Campinas
Aline Yamamoto
Ana Lucia Ramos Pinto – Presidente do Sindicato dos Bancários de Limeira
Carlos Eduardo Fábio – Coordenador da Sub Sede CUT Campinas
Carolina Labissiere Ulhoa Rath – PLP do DF
Caroline Silva do Nascimento
Catarina Jorgea Lima Martins
Célia Maria de Carvalho da Costa Ferreira
Célia Regina Batista Serrão
Claudia Akami Saito
Crimeia Alice Schmidt de Almeida
Débora Diniz
Deise Martins
Dulce Xavier
Edleide Ramos de Souza
Eliane Cristina Renges
Erika Rodrigues da Silva
Eunice Alves Silvano
Eunice Aparecida de Jesus Prudente – advogada feminista
Fernanda Rodovalho
Generosa Deise Rigo Leopoldi
Giselle Pellegrini
Ivanice da Silveira Santos – Secretária Geral do Sindicato dos Bancários de Limeira
Ivone Patriota
Jandayra Alves Santos Clementino
Jane da Silva Carneiro
Juliana Kohan da Silva
Jussara Cristina Matias
Katia Antunes
Ketty Margarete Valencio
Larissa Vitória dos Santos Jesus
Luana de Carvalho Ferreira Mazariegos Pablos
Luiza Rabinovici Trotta
Lunalva O Lima
Maria Amelia de Almeida Teles
Maria Angelica Oliveira (Mangyal)
Maria Aparecida Mattos
Maria Auxiliadora Galhano Silva (Dora Galhano)
Maria de Lourdes do Carmo
Maria Eugênia Andrade
Maria Lucia da Silva
Maria Terezinha de Jesus Garcia
Maria Valderez da Silva Pereira
Mariângela Portela da Silva
Marisa Fernandes
Miliane Ribeiro
Mirella Ferreira Santos
Paula Constante Silva Santos
Rita Cerqueira de Quadros
Rita de Cássia Braga Ronchetti
Rosangela Campos
Rosely Santiago
Silvana Zucolotto
Simone Henrique – Mestra e Doutoranda em Direitos Humanos (USP)
Sonia Teller
Soraia Machado de Souza
Taina Pereira Damião
Vanda Nunes Santana – MMM/Fórum de Mulheres de SBC
Vanessa Rosires Izidoro da Silva
Vivian Leme Furlan
Viviane Anália de Paula

Posts relacionados