Universo Desconstruido - 01

Muitas pessoas, num primeiro momento, poderiam estranhar a proposta do livro Universo Desconstruído de trazer um novo gênero literário às nossas prateleiras brasileiras ou e-readers: A Ficção Científica Feminista.

A primeira reação geralmente é questionar a necessidade deste sub-gênero da Ficção Científica; a segunda reação, não menos equivocada, é subestimá-lo.

As organizadoras do livro, prevendo estes questionamentos, anteciparam-se a eles neste post, onde nos trazem esclarecimentos sobre o que vem a ser a Ficção Científica Feminista, como surgiu e qual é o seu objetivo.

Para aqueles que ainda não se convenceram a colocar o livro na sua meta de leitura, fiz uma listagem de alguns motivos para ler Universo Desconstruído:

1)      O Gênero: É uma Ficção Científica e mais, é uma Ficção Científica que coloca a mulher como protagonista, sem, no entanto, estereotipá-la nem diminuir o seu valor enquanto ser humano:

Mesmo sendo de nicho, a FC brasileira é produzida majoritariamente por homens e para um público também masculino, muitas vezes com estereótipos mal construídos ou equivocados em cima da imagem feminina. Somos representadas como gatinhas do espaço, refugiadas, namoradas do herói, quando muito uma cientista, médica, espiã, ladra ou um ser maligno, a vilã. Somos ultra sexualizadas nestes enredos, pois nossa função ali não é participar dele, e sim floreá-lo, dar um sentido à busca do herói que salvará a galáxia te o almoço […]” (trecho retirado da introdução do livro)

Ps.: Acabei esquecendo de citar no post sobre Histórias de Robôs, mas na introdução de um dos contos, há uma certa crítica do autor com relação à falta de robôs femininas da Ficção, sendo que praticamente só lembramos da Maria de Metrópolis. Mais um motivo para ler Universo Desconstruído?!

Universo Desconstruido - 02

2)      A Organização: É formado por uma coletânea de 10 contos escritos por 10 autoras / autores diferentes, o que nos proporciona uma experiência única a cada conto não só pelo conteúdo, mas pela própria fluência da narrativa. Outra vantagem de se tratar de uma coletânea é exatamente a de nos propiciar um tour pela Ficção Científica Feminista, introduzindo-nos neste “novo” Universo não tão distante do nosso “mundo real”.

3)      A Diversidade: Da mesma forma como a coletânea do Asimov anteriormente mencionada, uns contos destacam-se mais do que outros e alguns, por sua vez, nos fazem rezar por uma continuação e mais, nos fazem pensar em o quão fodástico seria uma adaptação do conto para as telonas! Se a Ficção Científica é capaz de por si só levantar questionamentos sobre os nossos medos e anseios, o Universo Desconstruído consegue ir além em alguns contos tornando-se melhor que o seu Gênero-mãe.

4)      Desconstrói seu Universo: Sim, este é o motivo que pode soar mais clichê, mas o livro é capaz de mudar a nossa visão de mundo ou ao menos nos faz questioná-la. E quem acredita que este é o motivo mais “ lá vem esse povo com feminismo”, não sabe nada de Ficção Científica, desculpe.

5_foto0104

5)      É GRATIS! Se você tinha algum receio em adquirir o livro por motivos de R$, não se acanhe. Você pode baixar o livro gratuitamente e ler onde quiser. Porém, se você for materialista como eu e quiser adquirir o livro físico, isso também é possível, mas vai ter que desembolsar um dinheirinho. Para saber mais sobre como baixar ou comprar um exemplar físico, acessem este link onde a Lady Sybylla, uma das organizadoras do livro, ensina o caminho das pedras.

originalmente postado no Blog Crítica Consciente

Posts Relacionados